Todos os Médicos têm o direito de escolher se pretendem atuar como pessoa física ou pessoa jurídica, isso vai depender do que for melhor para sua atividade e prestação de contas diante do fisco.

Existem diversos aspectos que podem influenciar o Médico na decisão de ser pessoa física ou pessoa jurídica para desempenhar suas funções. Entretanto, a tributação incidente na categoria tem sido um motivo determinante na escolha e, por isso, a maioria dos Médicos tem escolhido pela abertura de empresa.

Muitos são os benefícios que os Médicos levam ao optar por ser pessoa jurídica, especialmente vendo pelo lado financeiro. Isso porque, quando o Médico escolhe ser autônomo, ele se inclui no IRPF (Imposto de Renda de Pessoa Física) e paga 27,5% sobre seus rendimentos e 11% de INSS.

Já os que optam por ser pessoa jurídica têm todos os impostos reduzidos para 13,33%. Essa mudança se torna muito significativa quando calculada no período de um ano. Além da redução de impostos, o que tem motivado os Médicos quanto à abertura de empresas é o procedimento que envolve a formalização, que cada vez está mais simples e rápido, garantindo que a empresa seja aberta, geralmente, em até 10 dias úteis.

Apesar de toda a facilidade na hora de abrir uma empresa, principalmente para os que possuem uma rotina tão agitada como a dos Médicos, existem os desgastes quanto ao controle pessoal e financeiro, pagamento de impostos e outras obrigações empresariais que envolvem as áreas contábil e tributária, principalmente para os que têm o próprio consultório.

Por isso, é necessário que o Médico conte com a ajuda de um especialista em procedimentos legais da categoria. O processo de formalização é importante, pois a falta de qualquer documento pode acarretar em demoras para iniciar as atividades ou mesmo em multas, caso a empresa comece a funcionar sem as devidas autorizações.

A Comed é especialista em Contabilidade para Médicos e uma de suas funções é auxiliar seus clientes com a emissão de notas fiscais, contabilizar os rendimentos de forma confiável e mantê-los devidamente regulamentados nos órgãos de fiscalizações.

Conheça também